Publicidade

Publicidade

Sarças de Fogo, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Sarças de Fogo, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor estreou com o livro Poesias em 1888, volume com três coletâneas: Panóplias, Via-Láctea e Sarças de Fogo. Em Sarças de Fogo, Bilac enrique a métrica e busca alargar o horizonte de suas formas fixas.

No
Tarde, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Tarde, de Olavo Bilac

Tarde é uma coletânea póstuma de Olavo Bilac. A obra foi publicada em 1919 e podemos notar o sentimento de frustração da vida, aproximação da morte e a busca pelo sentido da existência. Bilac amplia sua gama de temas e sua poesia acaba adquirindo uma carga mais filosófica e metafísica.

No
O caçador de Esmeraldas, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

O caçador de Esmeraldas, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor publicou a 2ª edição de Poesias em 1902, acrescida das coletâneas Alma inquieta, As viagens e O caçador de esmeraldas. O caçador de Esmeraldas é um poema épico que conta a história da expedição do bandeirante Fernão Dias Paes Leme. O escritor … Read more

No
As Viagens, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

As Viagens, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor publicou a 2ª edição de Poesias em 1902, acrescida das coletâneas Alma inquieta, As viagens e O caçador de esmeraldas. Em As Viagens, Bilac escreve uma série de poemas independentes das diversas viagens que fizeram os homens conquistarem novas terras. Os poemas … Read more

No
Alma Inquieta, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Alma Inquieta, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor publicou a 2ª edição de Poesias em 1902, acrescida das coletâneas Alma Inquieta, As viagens e O caçador de esmeraldas. Alma Inquieta segue uma linha sensual e realista, além de abordar sobre a velhice e a saudade de uma forma metafísica.

No
Via-Láctea, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Via-Láctea, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor estreou com o livro Poesias em 1888, volume com três coletâneas: Panóplias, Via-Láctea e Sarças de Fogo. Em Via-Láctea, os 35 sonetos são sem título cultuando o subjetivismo presente no Romantismo.

No
Panóplias, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Panóplias, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor estreou com o livro Poesias em 1888, volume com três coletâneas: Panóplias, Via-Láctea e Sarças de Fogo. Em Panóplias, Bilac abre com o famoso poema Profissão de fé.

No
Profissão de fé, de Olavo Bilac
setembro 21st, 2010

Profissão de fé, de Olavo Bilac

Olavo Bilac é um dos principais nomes do parnasianismo no Brasil. O escritor estreou com o livro Poesias em 1888, volume com três coletâneas: Panóplias, Via-Láctea e Sarças de Fogo. Em Panóplias, Bilac abre com o famoso poema Profissão de fé que é a adesão aos preceitos parnasianos da “arte pela arte”, da rima, da … Read more

No
Primeiros Cantos, de Gonçalves Dias
setembro 20th, 2010

Primeiros Cantos, de Gonçalves Dias

Gonçalves Dias publicou, em 1847, o livro Primeiros Cantos. A coletânea é composta por sete poesias americanas, 30 poesias diversas, além de sete hinos. A obra é iniciada com Canção do Exílio, que traz em seus versos temas como saudade melancolia e natureza. As poesias líricas e intimistas, em geral, destacam a figura do índio … Read more

No
Ondas e Outros Poemas Esparsos, de Euclides da Cunha
setembro 20th, 2010

Ondas e Outros Poemas Esparsos, de Euclides da Cunha

Autor do clássico da literatura nacional Os Sertões, Euclides da Cunha também escreveu poesias, ensaios, crônicas e reportagens. Entre as poesias mais populares está Ondas. A obra foi escrita pelo autor ainda na juventude, mas foi organizada e anotada pelo sociólogo e escritor Adelino Brandão – um dos maiores estudiosos da obra de Cunha.

No